06/05/2019

RELEITURAS: Quem é você? Aceita responder? (Prof. Clauber Krieck)

 

Prof. Clauber Magela Freire Krieck[1]

 

A existência humana é uma bela viagem a qual ganhamos de presente. Nessa viagem somos convidados a contemplar as paisagens e a nos encantar com as surpresas que algumas estações nos proporcionam... Mas nunca podemos perder de vista o horizonte da volta, o voltar para casa. Se durante a viagem desviamos o olhar do horizonte, corremos um grande risco de nos perder pelo caminho, de nos esquecer, de esquecer de nós mesmos, de esquecer de onde viemos e para onde estamos indo, de perdermos a nossa identidade.

 

Conta a história que um pai, com sua sabedoria existencial, sempre dizia ao seu filho mais velho: “meu filho, minha viagem está terminando, eu aproveitei cada estação, mas não sou daqui”. A consciência do que sou, de quem eu sou é a garantia de uma viagem sem desvios.

 

Nesta viagem, chamada de existência, todos nós temos um diário de bordo onde tudo fica registrado. Este diário é a nossa história, o nosso passado. Esse registro vai definindo a nossa verdadeira identidade, como dizia Sartre, o grande filósofo existencialista: “No mundo, somos Seres-para-si, onde posso ver minha essência em retrospecto”, ou seja, seres que constroem sua identidade através de suas escolhas. 

 

Essa identidade pessoal é a maneira pela qual as pessoas enxergam a si mesmas e tal identidade está intimamente relacionada à própria imagem. É importante ressaltar que é a maneira como o ser humano enxerga a si mesmo e não como os outros o veem. A maneira como os outros nos enxergam, muitas vezes, é o que passamos para eles, aquilo que a sociedade nos obriga a passar, ora para sermos aceitos, ora para sermos inclusos, etc.

 

Também, em alguns momentos, passamos a imagem daquilo que gostaríamos de ser e não daquilo que realmente somos; a não aceitação do que sou. E nesse faz de conta de ser alguém que gostaríamos de ser, corremos o risco de perdermos a nossa identidade... Identidade construída no nosso íntimo, através da nossa história, de nossos valores, sentimentos, escolhas e sonhos. Aquilo que está no mais profundo do ser, nossa essência.

 

Confira o texto completo em anexo.

 


[1] Filósofo e teólogo; professor de Ensino Religioso no Colégio Vicentino Santa Cruz, de Campo Mourão/PR. ckrieck@yahoo.com.br

 

 

Clique para Download

Galeria